Em resumo

Em resumo

  • O Coronavírus COVID-19 é oficialmente uma pandemia que apresenta um risco muito elevado para a vida humana e para o bem-estar económico em todo o planeta.
  • As cadeias de abastecimento estão a sofrer disrupção à escala global, criando uma emergência humanitária e social.
  • Um ciclo contínuo de mobilização de risco, deteção, análise, configuração e operação vai ajudar as empresas a adaptar as cadeias de abastecimento e proteger as comunidades.
  • Esta abordagem vai também desenvolver uma maior capacidade de resposta e resiliência nas cadeias de abastecimento preparando-as para disrupções futuras.
  • Para tal, as cadeias de abastecimento devem aproveitar plataformas que suportam applied analytics, inteligência artificial e machine learning, assegurando ao mesmo tempo transparência end-to-end.


Situação atual da COVID-19

O Coronavírus COVID-19 é oficialmente uma pandemia. Esta emergência de saúde e humanitária representa uma ameaça séria para a população mundial. A Organização Mundial de Saúde aumentou o risco global para "muito alto", confirmando que este é inquestionavelmente um desafio sério para a humanidade.

A prioridade é proteger a saúde e a segurança das pessoas, incluindo nos locais de trabalho. Os líderes das organizações devem tomar decisões rápidas e tomar medidas imediatas para proteger e apoiar os colaboradores e, também, garantir que as operações críticas da empresa se mantêm.

Qual é o risco para as cadeias de abastecimento?

Com o vírus a espalhar-se rapidamente e várias regiões e economias em lockdown, a disrupção das cadeias de abastecimento já é grave. A cadeia de abastecimento é fundamental para fazer chegar bens e serviços com rapidez e segurança àqueles em risco de infeção ou que estão a trabalhar na linha da frente da resposta médica. Os líderes empresariais devem tomar decisões rápidas e tomar ações imediatas para sustentar as operações empresariais, servir os consumidores, clientes e comunidades, bem como para proteger e apoiar os seus colaboradores.


94%

das empresas do ranking Fortune 1000 estão a sofrer disrupções na cadeia de abastecimento provocadas pela COVID-191

75%

das empresas já sofreram impactos negativos ou extremamente negativos nos seus negócios

55%

das empresas tencionam diminuir os seus objetivos de crescimento (ou já o fizeram)

O que fazer agora?

Este não é um típico evento de risco. O seu impacto ultrapassa tudo o que a maioria dos líderes de cadeias de abastecimento teria antecipado. E a rapidez da escalada requer uma avaliação, otimização e monitorização contínua end-to-end. As empresas precisam de responder rapidamente e com confiança para definir e executar um plano tático de curto prazo que mitigue os riscos para a saúde humana e proteja o funcionamento das cadeias de abastecimento globais.

  • Em 72 horas: Avaliar as operações em curso e delinear as recomendações iniciais
  • Em 1 semana: Estabelecer um centro de comando e começar a implementação rápida de uma resposta
  • Em 2 semanas: Ajustar rapidamente as operações e continuar o ciclo de resposta
  • Em 4 semanas: Estabelecer uma capacidade operacional contínua

Um ciclo contínuo de mobilização de risco, deteção, análise, configuração e operação vai permitir uma otimização dos resultados e a mitigação dos riscos:


O que fazer no futuro?

A pandemia da COVID-19 não é apenas uma crise de curto prazo. Tem implicações duradouras para a forma como as pessoas trabalham e como as cadeias de abastecimento funcionam. Há uma necessidade premente de que as organizações construam resiliência de longo prazo nas suas cadeias de valor para lidar com os desafios futuros.

Tal requer uma abordagem holística para gerir a cadeia de abastecimento. As organizações devem criar flexibilidade suficiente para se protegerem contra disrupções futuras. As empresas devem também considerar o desenvolvimento de uma estrutura robusta que inclua uma capacidade de resposta e resiliência nas operações de gestão de risco. Essa capacidade deve ser baseada em tecnologia, aproveitando plataformas que suportem applied analytics, inteligência artificial e machine learning. Também devem garantir a transparência end-to-end em toda a cadeia de abastecimento. A longo prazo, a resposta ao risco vai precisar de se tornar uma parte integral dos protocolos de negócio.

Como pode a Accenture ajudar?

Estamos aqui para ajudar os nossos clientes não só a gerir os desafios imediatos da crise global da COVID-19, mas também a criar cadeias de abastecimento ágeis, adaptáveis e inteligentes que desenvolvam resiliência para o futuro.

SUBSCRIÇÃO
Mantenha-se informado com a nossa newsletter Mantenha-se informado com a nossa newsletter