RELATÓRIO DA PESQUISA

Resumo

Resumo

  • A economia circular tem ganhado espaço, mudando o cenário da indústria química.
  • Novos fatores refletem essa transformação e a necessidade de a indústria do plástico se adaptar a estes critérios.
  • Apesar dos desafios da adoção de novas práticas, a economia circular oferece oportunidades para mudar a abordagem linear atual de “uso e descarte”.
  • Isso gera benefícios como a conservação de matérias-primas, eficiência energética e diminuição do impacto ambiental.


O estudo Como estimular a Economia Circular - Práticas para aceleração da circularidade na Indústria Brasileira de Plásticos aborda as principais forças motrizes para essa mudança no mercado.

60%

dos clientes preferem produtos ecológicos

90%

acreditam que a pandemia aumentará o foco no meio ambiente

A preferência do consumidor final voltada para produtos sustentáveis, metas globais contra a mudança climática e investimentos focados em conceitos ESG são alguns dos fatores identificados pelo levantamento como aceleradores da mudança para a economia circular.

Para se adaptar a essa nova realidade, empresas como Braskem e Cargil têm, voluntariamente, criado metas para aumentar a reciclagem de seus materiais e diminuir a emissão de gases causadores do efeito estufa.

Entenda como as empresas do setor podem garantir seu espaço nesse futuro sustentável – e quais oportunidades são apresentadas para aqueles que investem na mudança.

Matthew Govier

Líder de Consultoria para a Indústria Química, Recursos Naturais e Serviços de ESG Accenture


Flávio Alves

Líder Brasil para Químicos e Recursos Naturais Accenture


Rodrigo Nakazato

Líder de Pesquisa Accenture Research

MAIS SOBRE ESTE TEMA

Extração de novo valor da economia circular
(Re)ação química: Crescimento em uma economia circular

CENTRAL DE ASSINATURAS
Continue informado com nossa newsletter Continue informado com nossa newsletter