Automatizar em escala para ampliar o talento humano

A automação em escala é uma forma importante de aumentar a eficiência, e se classifica como o principal fator crítico para a digitalização de processos de negócios.

A automação em larga escala ou em escala total aumentou mais de 4 vezes nos últimos três anos.

A maioria das funções do supply chain usa automação e bots para reduzir as tarefas manuais em áreas como planejamento de demanda, logística e serviços pós-venda. Esta mudança permitiu que os gestores direcionassem o foco da sua força de trabalho para atividades de maior valor agregado, que oferecem suporte a produtos e experiências centradas no cliente, como interface direta, trabalhar com o desenvolvimento de produtos para projetá-los da melhor forma e redefinir estratégias com base nas informações do cliente em tempo real.

À medida que os líderes investem mais em automação, eles precisarão navegar pelo lado humano da equação homem+máquina para que as pessoas possam aproveitar ao máximo as ferramentas tecnológicas. Com a escassez de talentos de supply chain – do chão de fábrica aos executivos –, os líderes da área não podem resolver esse problema apenas com a automação.

38%

dos líderes de supply chain dizem que a força de trabalho não técnica de suas organizações está preparada para aproveitar as ferramentas de tecnologia que recebem.

No entanto, usá-lo da maneira certa e para as funções certas pode aliviar um pouco a pressão.

Comprometer-se a tomar decisões baseadas em insights

Um modelo operacional baseado em dados é a chave para tomar melhores decisões de negócios nas operações de supply chain e em toda a empresa. Um total de 61% dos líderes de supply chain diz que o modelo operacional de suas organizações é projetado com base em dados e não na experiência e intuição.

76%

relatam o amplo uso de dados ou em grande escala hoje, mais do que 2,5x em relação a três anos atrás.

98%

esperam ter dados em larga utilização ou em escala até 2023.

As tecnologias digitais e análises poderosas permitem o acesso aos dados em todas as transações do supply chain - de onde as matérias-primas foram obtidas até quando um pedido chega à porta da frente do cliente. Este "segmento de dados digitais" cria novos insights em toda a área. As organizações não apenas podem ser mais preditivas, direcionadas e ágeis, mas também podem ver todas as decisões pelas lentes da relevância, resiliência e responsabilidade.

Por mais poderosos que os dados sejam para transformar as operações de supply chain, a maioria das organizações ainda não explorou totalmente seu poder. Os investimentos certos em IA podem mudar radicalmente essa dinâmica, ajudando as organizações a extrair dados presos, muitas vezes inacessíveis ou residindo em silos. Isso fornece aos líderes de supply chain insights em tempo real e inteligência para tomar decisões mais informadas em toda a cadeia de valor - desde o design até o serviço.

Escalar investimentos em cloud para dar suporte ao supply chain

A nuvem é uma das tecnologias mais populares e importantes da atualidade, porque fornece recursos de computação flexíveis e seguros para ajudar as organizações a operarem com velocidade e escala, ao mesmo tempo que oferece benefícios de custo. Os líderes de supply chain estão bem cientes disso, e muitos estão desenvolvendo estratégias que priorizam a nuvem. Portanto, não é uma surpresa que 80% pense que sua organização aplicou cloud em escala.

Uma abordagem cloud-first é um princípio fundamental da transformação do supply chain digital. Cloud fornece um poder de computação massivo, com uma arquitetura digital e de dados simples, flexível e acessível, que abre uma infinidade de possibilidades. Isso permite que os líderes gerenciem os níveis de serviço e custos, e criem resiliência e responsabilidade em suas operações.

Usar a nuvem pública diminui as emissões de TI em 5,9% ou quase 60 milhões de toneladas de CO2 globalmente por ano.

— Accenture Research, 2021

Ao adotarem plenamente a nuvem, os líderes podem criar um supply chain que influencia todas as suas dimensões, ou seja, engenharia de produto, planejamento, aquisição, fabricação, atendimento e gestão de serviços.

Estudo de caso

Fornecedor de semicondutores tem lucro de US$ 3 milhões

Ao transformar seu processo de planejamento de peças de reposição, a empresa aumentou a eficiência. Saber mais.

Veja todas

Chris Karney

Managing Director – Global Supply Chain /Industry X Offering Lead, Accenture Operations

MAIS SOBRE ESTE TEMA

Via expressa para o futuro
Supply Chain com foco no cliente: Uma licença para crescer
A digitalização do supply chain

CENTRAL DE ASSINATURAS
Continue informado com nossa newsletter Continue informado com nossa newsletter