RELATÓRIO DA PESQUISA

Resumo

Resumo

  • Nossa pesquisa mais recente revela que 88% dos jovens brasileiros aspiram a ter um emprego verde nos próximos 10 anos.
  • É esperada a criação de 22,5 milhões de empregos verdes nos próximos 10 anos, mas não será suficiente, se considerarmos a demanda por esse tipo de emprego.
  • Para companhias que operam na América Latina, essa é uma enorme oportunidade para se deslocarem na direção de resultados de negócio ambientalmente sustentáveis.
  • O desafio é que elas precisam começar a agir agora para projetar os empregos que vão atrair jovens motivados detentores de uma variedade de níveis de habilidades.


Conheça a Gen Green

À medida que as companhias aceleram sua transição para a economia verde, atrair jovens talentos é o novo imperativo. Enquanto bons salários, estabilidade e oportunidade continuam a ser motivadores, as pessoas jovens também estão à procura de companhias que ofereçam empregos verdes atraentes e demonstrem compromissos efetivos com a sustentabilidade ambiental.

Cerca de 60% expressaram confiança de que encontrarão um emprego verde dentro de 10 anos.

A ideia de criar um futuro melhor tem enorme apelo junto à população jovem em todo o globo, mas jovens no Brasil são particularmente ansiosos. Observações da nossa pesquisa mais recente mostram como jovens no Brasil têm surpreendentemente níveis mais altos de aspiração a trabalhar na economia verde em comparação com EUA e Europa.

Gráfico que mostra a aspiração a trabalhar na economia verde nos próximos anos.

A juventude no Brasil aspira a trabalhar na economia verde e solucionar alguns dos maiores desafios ambientais do mundo. Seja ajudando economias a mudar para transportes mais limpos ou auxiliando a região a se descarbonizar, os jovens estão dispostos a enfrentar a questão. Mas existe apenas um problema: muitos desses empregos verdes ainda não existem hoje.

Três imperativos para as empresas

À medida que a procura por – e a oferta de – empregos verdes continua a crescer, as empresas precisam executar. Isso quer dizer que elas precisam de talentos, muitas vezes novas formas de talento. Um alto grau de determinação nesta área será vital para aquelas que quiserem liderar na economia verde.

Identificamos três imperativos para companhias no Brasil atraírem jovens talentos.

Os jovens são muito sensíveis e severos a tentativas superficiais de “falso compromisso com o verde”, ou “greenwashing”. Por outro lado, empresas que demonstrarem um comprometimento genuíno com uma transição para a economia verde terão grande apelo. Primeiro, elas deverão criar novas empresas verdes que estejam afastadas de negócios legados; e segundo, elas deverão constituir capacidades internas para a sustentabilidade em todas as divisões da companhia, que poderiam incluir a introdução e o rastreamento de novos KPIs.

Os desafios da sustentabilidade demandam soluções inéditas e híbridas. As empresas precisam contratar um mosaico de talentos para formar novos tipos de equipes e projetar estas soluções mais rapidamente. Expertise será exigida em combinações incomuns: engenharia química-mais-inovação; ciências climáticas-mais-inteligência artificial. As companhias mais inovadoras darão um passo à frente ao oferecer aos jovens a liberdade criativa para dar vida às suas ideias com o uso dos mais recentes instrumentos como plataformas de dados avançadas, ferramentas analíticas e novas tecnologias.

Nem todos os empregos verdes vão exigir qualificações avançadas.

Setores como construção e manufatura terão uma grande proporção de postos para iniciantes que requerem apenas qualificações vocacionais. Nossa pesquisa também revela que os jovens estão muito dispostos a receber treinamento especializado ou a aprender novas e mais profundas habilidades. As empresas deverão observar isto como uma oportunidade e tomar três atitudes.

Investir em programas de treinamento básico que certifiquem trabalhadores iniciantes ou sem qualificação, e oferecer caminhos para especialização aos empregados. Depois, abrir caminhos para postos iniciantes por meio de parcerias inovadoras com instituições acadêmicas. E por fim, criar programas de intercâmbio e rodízio para funcionários jovens.


Incluir a economia verde na agenda do CXO

Cuidar das ambições dos jovens é cuidar do nosso próprio futuro. Líderes empresariais precisam observar três questões à medida que perseguem um lugar na economia verde:

  • O que fazemos para garantir que nossas ações não corram o risco de ser rotuladas de “falso compromisso com o verde”, ou “greenwashing”?
  • Como mensuraremos tangivelmente nossa performance não financeira, (i.e., ambiental, social, de governança e outras dimensões)?
  • Como criaremos novos empregos verdes necessários para atrair as aspirações de pessoas jovens? E como assegurar que nossos talentos atuais possam ser bem-sucedidos na economia verde do futuro?

Junte-se a nós e faça parte da mudança

Parte da nossa missão é garantir que a sustentabilidade seja prioridade em cada entrega e na forma com a qual nos relacionamos com os talentos.

Por meio da combinação criatividade humana + tecnologia, transformamos a sustentabilidade em uma força de mudança. Junte-se ao nosso time, contribua para a construção de um mundo mais verde e seja a mudança.

Explore nossas oportunidades

Sobre os autores

Gianfranco Casati

CEO – Growth Markets


Dr. Vedrana Savic

Managing Director – Thought Leadership, Accenture Research


Valentin de Miguel

Senior Managing Director – Strategy & Consulting and Sustainability Services Lead, Growth Markets


Trevor Gruzin

Senior Managing Director – Growth & Strategy, Growth Markets


Yoshinori Tachibana

Senior Managing Director – Accenture Japan

MAIS SOBRE ESTE TEMA

Se importar para fazer melhor
Cumprindo a promessa de sustentabilidade

Conheça nossos líderes

Materiais essenciais

Leitura completa

20 minutos de leitura

Os jovens buscam a economia verde

Três imperativos de negócio para atrair talento jovem e prosperar na economia verde.

VEJA O RELATÓRIO COMPLETO
CENTRAL DE ASSINATURAS
Continue informado com nossa newsletter Continue informado com nossa newsletter