RELATÓRIO DA PESQUISA

Em resumo

Em resumo

  • Os colaboradores estão a tornar-se "humanos+", graças a um novo conjunto de capacidades tecnológicas integradas com as próprias aptidões e competências.
  • Os colaboradores considerados humanos+ possuem capacidades extraordinárias, mas as organizações continuam a recrutar, a contratar e a gerir, tendo em conta o passado.
  • Para prosperar na era pós-digital, as organizações terão de tirar partido da tecnologia para eliminar o fosso criado, fomentando uma cultura de aprendizagem.


A transformação digital está a ocorrer em todas as áreas das organizações e os colaboradores não são exceção. A tecnologia presente no local de trabalho afeta os trabalhadores a todos os níveis. Os colaboradores de hoje em dia conseguem fazer uso das mais recentes tecnologias para reinventarem funções existentes e para encontrarem formas novas e inovadoras de se adaptarem e prosperarem na era pós-digital.

As tecnologias inovadoras estão a transformar os colaboradores em humanos+. Cada pessoa apresenta, além do seu conhecimento pessoal, da sua experiência e das suas competências, um conjunto de capacidades tecnológicas em expansão constante.

"As capacidades dos colaboradores de hoje não se cingem às suas competências e conhecimentos, são também aquelas que adquirem através da tecnologia. A esses colaboradores chamamos ‘humanos+'".

@MJBiltz, Managing Director – Accenture Technology Vision. #TechVision2019

Adaptação às necessidades dos humanos+

À medida que as organizações continuam a inovar, estão a criar mais postos de trabalho e funções em que tudo gira em torno da tecnologia. Hoje em dia, os empregos estão todos a tornar-se cargos para humanos+. No futuro, todas as funções criadas serão destinadas, desde início, a humanos+.

A colaboração cada vez maior entre os humanos e a tecnologia cria novas oportunidades. Contudo, também traz consigo novos desafios. As empresas atuais ainda pensam tendo em conta a workforce do passado, o que gera uma desconexão que se estende a toda a organização.

As empresas criaram inadvertidamente um fosso digital entre si e os colaboradores considerados humanos+. Para serem líderes, terão de eliminar esse fosso e adaptar as estratégias tecnológicas que criaram estes colaboradores do futuro de forma a satisfazerem as suas novas necessidades.

Permitir a circulação fluída de pessoas e de conhecimento

As estratégias de captação de talento das empresas não são as adequadas, tendo em conta as capacidades dos humanos+. Os colaboradores considerados humanos+ passam rapidamente de umas funções para outras e de umas organizações para outras, algo que as estratégias de captação de talento tradicionais não conseguem acompanhar. Além disso, o investimento na aprendizagem e na requalificação não está a ser o suficiente para lidarem com esta maior mobilidade dos colaboradores.

Para, serem bem-sucedidos os líderes têm de repensar a forma como contratam e formam os colaboradores e deverão adotar abordagens mais adequadas à adaptabilidade dos considerados humanos+. Isso inclui procurar talento inexplorado entre os seus colaboradores e atribuir-lhes novas funções e oportunidades, a que melhor se adequem.

78%

dos executivos de IT e de negócio concordam que o aumento da mobilidade dos colaboradores veio aumentar a necessidade da sua requalificação.

Os colaboradores considerados humanos+ estão dispostos a aprender e adotam rapidamente novas ferramentas. Para criarem novas oportunidades e fomentarem uma cultura de aprendizagem contínua, os líderes estão a investir em plataformas de aprendizagem e em estratégias que preparam melhor os colaboradores e as empresas para o futuro. Além disso, estão a começar a compreender que uma maior mobilidade dos colaboradores leva a um conhecimento cada vez mais distribuído e torna necessário adaptarem as estratégias tecnológicas para que a gestão de conhecimento seja a adequada para a era dos humanos+.

A nível de captação de talento, os líderes estão a começar a compreender que o mais importante não é de onde o colaborador vem, mas sim onde pode chegar.

O surgimento dos humanos+ expandiu as capacidades da mão-de-obra além daquilo que, há umas décadas, as empresas imaginavam ser possível. Isso foi um dos maiores feitos alcançados na era da transformação digital. As organizações podem utilizar essa mão-de-obra com capacidades em evolução constante para alcançarem uma inovação em grande escala. Agora, é necessário comprometerem-se a investir nos colaboradores considerados humanos+ para tornarem possível o futuro laboral.



Paul Daugherty

CHIEF TECHNOLOGY AND INNOVATION OFFICER - ACCENTURE


Marc Carrel-Billiard

SENIOR MANAGING DIRECTOR - ACCENTURE LABS E EXTENDED REALITY


Michael Biltz

Managing Director — Accenture Technology Vision

MAIS SOBRE ESTE TEMA


Documentos de suporte

As cinco tendências abordadas no relatório deste ano refletem em paralelo as transformações digitais das empresas e das pessoas. O Technology Vision 2019 dá as boas-vindas às empresas para a nova era pós-digital.

Leitura completa

20 minutos de leitura

Abrir o PDF do relatório completo The post-digital era is upon us are you ready for what’s next? numa nova janela.

Tenha acesso ao resumo, às cinco tendências e ao panorama geral. Descubra como o relatório deste ano se enquadra nas tendências tecnológicas que identificámos para os próximos três anos. Analise o Tech Vision completo.

RELATÓRIO COMPLETO

Em resumo

10 minute read

Resumo

O nosso resumo de dez minutos acerca das novas inovações e tendências que, na era pós-digital que se avizinha, serão essenciais para os líderes.

VER

SlideShare

O mundo dos negócios está a passar por uma transformação digital. Contudo, as pessoas também estão a mudar e estão a desafiar as empresas a colaborarem com elas ou a adaptarem-se das mais variadas formas.

Siga-nos nas redes

SUBSCREVER
Mantenha-se informado com a nossa newsletter Mantenha-se informado com a nossa newsletter