Sonhar alto e agir em harmonia

Pode ser difícil ter uma visão holística da transformação das operações, sendo o negócio dos seguros verdadeiramente matricial. A estrutura de como os processos são executados - desde o quotidiano até à estratégia - perpetua silos entre as funções e as linhas de negócio. A dificuldade acresce ainda com as obrigações legais, de conformidade e de segurança a que estão sujeitas. Assim, as seguradoras tendem para uma abordagem incremental na melhoria das suas operações o que resulta numa fragmentação de processos e impede a produtividade e melhorias no negócio.

Mas as principais seguradoras estão a reconhecer que o incrementalismo as está a atrasar. As que utilizam operações à escala e inteligentes podem adotar uma abordagem muito mais holística. Não só podem melhorar as experiências e resultados no processo, como também podem transformar a curva dos custos.

Orientar pela experiência em todo o ecossistema

As seguradoras precisam de uma orientação que defina o seu objetivo para alcançar operações preparadas para o futuro. Esta deve ser a estratégia de experiência dada a todos os intervenientes do ecossistema. É algo que as seguradoras preparadas para o futuro aplicam em escala, e algo que outras seguradoras precisam de melhorar.

Porquê a experiência? Com o risco dos seguros se tornarem commodities - e com dinâmicas de experiência a perturbarem a indústria - as seguradoras tradicionais têm de melhorar a experiência para competir. Esta é uma experiência amplamente definida. É a experiência do cliente que cultiva a lealdade. É a experiência do colaborador que impulsiona a retenção e aquisição. E é a experiência dos parceiros e dos fornecedores que alimenta um ecossistema forte.

Unir negócio e tecnologia

A tecnologia tem um papel fundamental na transformação das operações. O avanço do modelo operacional através da tecnologia é mais do que a própria tecnologia. A tecnologia é um facilitador para as seguradoras - um veículo para a mudança.

O progresso acontece quando o negócio e a tecnologia se unem no desenvolvimento de modelos de administração conjunta, através do alinhamento e integração dos parceiros do ecossistema, e da co-criação do plano estratégico para que os investimentos tecnológicos se alinhem com a estratégia de negócio. É assim que as seguradoras sabem que estão a investir em tecnologia que é verdadeiramente útil ao negócio. É por isso que precisam de intensificar a colaboração entre o negócio e a tecnologia.

86%

das organizações prontas para o futuro em todas as indústrias esperam que as funções empresariais e tecnológicas colaborem na íntegra até 2023.

53%

das seguradoras esperam alcançar tais níveis de colaboração até 2023; apenas 15% estão a fazê-lo atualmente.

Case study de clientes

Ultrapassar a concorrência

Uma rede europeia de seguros centralizou a gestão de pedidos de indemnização, reduzindo os custos até 30%. Saiba mais.

VER TUDO

James R. Reesing

Managing Director – Accenture Operations, Insurance Operations Business Lead


Laurie Broucek

Managing Director – Accenture Operations, Insurance Operations Offering Lead

MAIS SOBRE ESTE TEMA

Fast-track to future-ready performance
Navegar pelo impacto nas seguradoras

SUBSCRIÇÃO
Mantenha-se informado com a nossa newsletter Mantenha-se informado com a nossa newsletter