Existem três caminhos essenciais para alcançar a liderança: digitalizar e individualizar a experiência do cliente; realinhar objetivos e criar sistemas mais ágeis; aproveitar o que de melhor a tecnologia dá, sendo flexíveis e rápidos na adequação à mudança.

"Chegou a altura em que o trabalho remoto começa a ser visto como uma vantagem. Há inúmeras oportunidades para as empresas que estejam disponíveis para repensar a organização e perceber o que podem alcançar com um modelo de força de trabalho virtualizado", afirma Rui Barros, managing director da Accenture Portugal, responsável pela área de tecnologia. Acrescenta que "no pós-pandemia tem de se dar um passo maior, o de redesenhar os modelos operacionais, repensar formas de comunicação e garantir que os colaboradores remotos e presenciais são reconhecidos da mesma forma".

Jornal de Negócios: O estudo Accenture Technology Vision 2021 aponta as principais tendências da tecnologia e já contempla os efeitos da pandemia. Quais são as principais tendências e como é que estas se articulam com as de 2020 e 2019?

Rui Barros: O nosso relatório anual Tech Vision define cinco grandes tendências para 2021. Uma liderança mais ousada e com a prioridade centrada na tecnologia e que permitirá maior flexibilidade; rapidez; adaptação a mudanças de contexto e utilização das capacidades nativas da cloud como potenciador dessa transformação digital.

Os líderes de empresas, que se adaptaram a esta nova realidade de pandemia de forma bem-sucedida, são criadores e promotores de novas realidades. Os "Masters da Mudança" dominam a tecnologia, reveem protocolos e criam uma nova visão para o futuro. Mas transformar uma empresa em líder de tecnologia implica um trabalho conjunto de todas as áreas. A abordagem digital first deve ser transversal e global, só assim trará os resultados desejados.

Com modelos que têm por base a inteligência artificial, machine learning e internet of things, os digital twins. Caminham ao lado das empresas. Hoje é possível, com recurso a estas tecnologias, otimizar operações; detetar e prever anomalias; evitar tempo de inatividade não planeado; gerar maior autonomia; e ajustar projetos e estratégias com base em dados recolhidos ou em novos testes executados.

Já em 2019 e 2020 referíamos as novas tecnologias como catalisadores de mudança. Hoje reiteramos essa tendência, acrescentando que o caminho é a tecnologia democratizada e novos modelos de colaboração. Processamento de linguagem natural, plataformas low-code e automação robótica de processos (RPA) são bons exemplos da democratização da tecnologia.

Também, os sistemas partilhados, como blockchain, distributed ledger, bases de dados distribuídas, tokenização e uma variedade de outras tecnologias e recursos, serão também uma tendência, pois impulsionam a eficiência e a criação de novos modelos de negócio e de receita.

J.N: Uma das conclusões do estudo Accenture Technology Vision 2021 é que durante a pandemia terá ficado claro que não há liderança sem liderança tecnológica. Como é que é as organizações podem adquirir estas competências?

R.B: Existem três caminhos essenciais para alcançar a liderança: digitalizar e individualizar a experiência do cliente; realinhar objetivos e criar sistemas mais ágeis; aproveitar o que de melhor a tecnologia nos dá, sendo flexíveis e rápidos na adequação à mudança.

As organizações têm de acelerar e potenciar os canais digitais integrados com a experiência no meio físico e possibilitar que o maior número possível de operações por parte do cliente decorra em modo self-service. É também importante potenciar a utilização de dados nas organizações - através de análises preditivas integradas das operações, que permitirão melhorar o serviço e personalizar a oferta ao cliente assim como garantir maior eficiência nas operações de suporte. Desta forma, as empresas conseguem libertar os seus colaboradores para se focarem em atividades criativas e de maior valor, o que aumentará drasticamente a sua produtividade e engagement.

Jornal de Negócios | 01/06/2021 | Rui Barros

Rui Barros

Managing Director – Accenture Technology Portugal

MAIS SOBRE ESTE TEMA

Procurar ser melhor
GDPR: A data opportunity in disguise

SUBSCRIÇÃO
Mantenha-se informado com a nossa newsletter Mantenha-se informado com a nossa newsletter