RELATÓRIO DA PESQUISA

Em resumo

Em resumo

  • Os CFOs enfrentam vários desafios: adotar automação a nível corporativo, potenciar modelos analíticos e conectar-se a outras unidades de negócio.
  • Muitos CFOs estão a ter dificuldades em recolher dados. Necessitam do apoio da organização durante o processo de adaptação à automação.
  • Os CFOs vão desbloquear insights valiosos e tornar-se ainda mais fundamentais depois de medir e traduzir as intervenções digitais para os restantes C-suite.


À medida que os CFOs se fixam num cenário cada vez mais volátil, vão enfrentar uma série de desafios operacionais e culturais. Ao nível tático, os CFOs irão precisar de implementar processos para combater o retrocesso persistente da automação dentro das organizações e garantir que utilizam todos os dados à sua disposição. Ainda que as tecnologias estejam estabelecidas, vão precisar de construir a justificação para a mudança e de se posicionarem como uma força transformadora em toda a empresa.

51%

dos CFOs estão prontos para desenvolver novas competências digitais fundamentais para manter o ritmo e ter sucesso nos próximos anos.

Ultrapassar as restrições culturais

Nem todos os CFOs têm a capacidade de tomar a iniciativa de criar sistemas financeiros automatizados e digitalização. Atualmente, apenas 34% dos processos financeiros são automatizados – uma percentagem surpreendentemente baixa. Ainda mais preocupante? Os CFOs preveem que menos de 50% de todas as tarefas financeiras serão executadas por máquinas até 2021.

O que está a abrandar o processo? A apreensão é uma das razões – 38% dos inquiridos estão preocupados com a resistência dos colaboradores em trabalhar com colegas não-humanos. Isto coloca o ónus da automação nos CFOs, enquanto gerem as suas responsabilidades atuais.

"A área financeira deve estar presente em todas as vertentes tecnológicas da organização – logo desde a fase inicial. Qualquer tecnologia de back office precisa do interface eficiente com as finanças. Caso contrário, os dados e resultados são desorganizados."

– DANIEL GENTILI, INPEX Australia

Controlar os dados

OS CFOs procuram aproveitar os dados proativamente para poder ajudar quem toma decisões a criar uma estratégia baseada em insights.

Mas, por agora, 53% dos CFOs estão preocupados com a função reativa de finanças, ou que esses dados e processos de partilha de informação não estejam simplificados. Para além disso, 46% esperam continuar desta forma nos próximos dois anos.

Captar os dados essenciais é também uma preocupação. Dos executivos financeiros inquiridos, menos de metade estão a obter os principais benefícios potenciais da análise de dados:

  • Criação de valor
  • Melhoria da conformidade
  • Identificação de futuros riscos e oportunidades
  • Adoção mais ampla da tecnologia em toda a organização
  • Maior conectividade com outras áreas da organização
"Um dos maiores desafios é localizar os dados certos. Isto é o que me mantém acordado à noite." 

– RUBENS BATISTA, Martins

Identificar estudos de caso

Procurar na organização por oportunidades que sejam “quick wins” de forma a priorizar os investimentos digitais.

Comunicar com outros departamentos

Encontrar um lugar-comum entre as funções de negócio e utilizar métodos ágeis para otimizar o digital em toda a organização.

Monitorizar ativamente os investimentos

Promover avaliações sucessivas do portfólio de investimentos digitais para assegurar a sua relevância e valor contínuo.

Apoiar os inovadores

Criar um ambiente que permita assumir riscos e encorajar as equipas que proativamente procuram a inovação.

Aceitar o seu papel na transformação

Os CFOs de organizações em grande crescimento têm maior probabilidade de estar a potenciar transformação, planear a disrupção e obter valor. Também são mais propensos a assumir que têm elevadas capacidades de obtenção de dados e modelos analíticos, e que estão a implementar uma monitorização em tempo real, ou perto de tempo real, do desempenho do negócio.

A tecnologia por si só, certamente, não levará a melhorias.

Como podem os CFOs abraçar o seu novo papel transformador entre os C-suite? Definindo objetivos claros para assegurar que as novas tecnologias são totalmente exploradas e fazendo a ligação entre programas piloto e as tecnologias, para evitar a redundância. Ao fazê-lo, tanto os CFOs como as suas equipas podem tornar-se pilares estratégicos quer para toda a organização, quer para o futuro talento na área financeira.



Sobre os Autores

Steve Culp

Senior Managing Director – Accenture Enterprise Value, Finance and Risk


Dr. Christian Campagna

Senior Managing Director – Accenture Strategy, CFO and Enterprise Value


David Axson

Senior Strategy Executive Principal – Accenture CFO Strategies and CFO and Enterprise


Haralds Robeznieks

Senior Principal – Accenture Research

LEIA MAIS SOBRE ESTE TEMA


Subscrição newsletter
Mantenha-se informado com a nossa newsletter Mantenha-se informado com a nossa newsletter