Skip to main content Skip to Footer

LATEST THINKING


As Fintech e a evolução do mercado

Valor do investimento global em Fintech cresceu 75% para 22,3 mil milhões de dólares

Overview

Empresas de capital de risco, private equity, corporações e um vasto número de outros “players” a nível global têm investido uma quantia sem precedentes em Fintech, start-ups de tecnologia na área financeira. Desde 2010, foram investidos mais de 50 mil milhões de dólares em quase 2.500 empresas, à medida que estas start-ups redefinem a forma como se guarda, poupa, empresta, investe, move, gasta e protege o dinheiro. As Fintech continuam a ser manchete nos media mundiais, mas há sinais de que o mercado está a atingir o próximo nível de maturidade e a entrar já no mainstream. Este relatório da Accenture analisa as últimas tendências globais das Fintech, discute os desafios e oportunidades que estas empresas representam para a banca e analisa de que forma a Google, Apple, Facebook, Amazon e Alibaba (GAFAA) estão a redefinir o panorama e a penetração das plataformas tecnológicas.

Principais conclusões

Para vencerem na era digital, os Bancos devem construir um conjunto de estratégias de forma a permanecerem relevantes e resistirem ao ritmo da mudança. Abaixo apresentamos um conjunto de estratégias emergentes para este setor:

  • Curto-prazo: Os Bancos devem começar a procurar formas concretas de melhorar os seus modelos de negócio, investindo em tecnologias que sejam facilmente adotáveis por toda a indústria.

  • Médio-prazo: O setor terá benefícios com o desenvolvimento de um programa multi-investimento e de adoção. Os Bancos devem estar mais próximos da vida digital dos seus clientes, incorporando no núcleo da sua estratégia corporativa um pensamento centrado no cliente, juntamente com as competências certas em todos os níveis da organização.

  • A longo-prazo: A banca terá de pensar como expandir a sua rede para desenvolver um ecossistema de serviços focado nos seus clientes. Terá de desafiar os seus próprios modelos de negócio, tornar-se mais relevante para os clientes e ter acesso a fontes de rendimento maiores e de longo prazo.

Recomendações

… para vencerem na era digital, os Bancos devem construir um conjunto de estratégias de forma a permanecerem relevantes e resistirem ao ritmo da mudança.



A análise dos possíveis cenários e a gestão dos riscos de execução podem parecer um desafio, mas acreditamos que, por enquanto, os bancos tradicionais continuam a ter uma posição forte para influenciar e determinar o seu próprio destino. A atual onda de inovação disruptiva será vista dentro de cinco anos como tendo proporcionado serviços bancários mais seguros, transparentes, eficientes e abertos aos consumidores, empresas e outras partes envolvidas no mercado. As Fintech não estão a surgir como a principal ameaça competitiva para a maioria das áreas da Banca. Os players do setor que conseguirem avaliar, adaptar e adotar essas novas tecnologias mais rapidamente estarão melhor posicionados para alcançar a posição desejada na nova estrutura da indústria.


ESTUDOS E PUBLICAÇÕES

João Pedro Tavares

João Pedro Tavares
Vice-Presidente da Accenture,
responsável pela área de Financial Services

Email LinkedIn