Quando o assunto é preparar uma força de trabalho para o futuro, os líderes precisarão ser mais resilientes e focados em engajar e manter seus funcionários, capacitando suas equipes para conquistar novas competências e ir além de suas zonas de conforto.

Use a estratégia para ajudar todos a almejar mais alto

Soluções de requalificação estratégicas ajudam as empresas a realinhar seu pessoal de funções transacionais para atividades de valor agregado sob demanda: por exemplo, assistentes estatísticos podem se tornar cientistas de dados; administradores web podem atuar com programação de software; e assistentes de RH se tornam consultores de talentos.

Os líderes de RH que responderam ao nosso estudo de Operações Inteligentes também reconhecem a necessidade de investir em uma estratégia que se concentre na melhoria de áreas como dados, experiência das partes interessadas e práticas de liderança para permitir o crescimento operacional.

74%

dos líderes de RH pesquisados relatam a adoção de práticas líderes, um aumento de 3x dos 27% de três anos atrás.

Usar tecnologia para melhorar a experiência dos funcionários

Os funcionários têm expectativas cada vez maiores de uma experiência de nível de consumidor no local de trabalho. Atender a essas expectativas exige que o RH redesenhe o modelo de prestação de serviços do ponto de vista de um funcionário - um que antecipe as necessidades da empresa e da força de trabalho.

Quando as organizações alinham as metas dos profissionais com as metas da empresa e acompanham seu desempenho com métricas claras, toda a empresa pode se tornar mais transparente e produtiva. Mas para isso, os líderes devem capacitar suas equipes para adquirir novas competências e correr mais riscos.

Estudo de caso

Uma empresa de petróleo e gás que precisava requalificar sua força de trabalho de aquisição para preparar funcionários para funções digitais, queria uma visão imparcial de 360 graus dos seus talentos para analisar dados historicamente inexplorados. A empresa criou uma solução usando IA para avaliar as habilidades e pontos fortes dos funcionários com técnicas de “Inferência de Competências” em seus dados não estruturados coletados ao longo dos anos em seu HCM. As competências semelhantes para funções do futuro foram computadas e os funcionários foram mapeados para novas funções digitais baseadas em habilidades técnicas, funcionais e de liderança. A lacuna de habilidades foi destacada ao nível dos funcionários para atender às necessidades da organização de compras. Agora eles têm uma solução sustentável e escalável que dá suporte à estratégia de força de trabalho de transformação digital de longo prazo.

Jill K. Goldstein

LÍDER DE SERVIÇOS DE PROCESSOS E NEGÓCIOS DE RH E TALENTOS

MAIS SOBRE ESTE TEMA

Via expressa para o futuro
Resiliência humana: o que a sua equipe precisa durante a COVID-19

CENTRAL DE ASSINATURAS
Continue informado com nossa newsletter Continue informado com nossa newsletter