RELATÓRIO DA PESQUISA

Resumo

Resumo

  • Diante de um ambiente de volatilidade, as empresas de Óleo & Gás estão em um momento decisivo de adoção da nuvem para continuidade de seus negócios.
  • O investimento em tecnologia aumenta a receita e o retorno dos investimentos, além de entregar agilidade, resiliência e sustentabilidade.
  • Entre os benefícios da nuvem para o setor estão a conectividade, escalabilidade, análise e automação que, juntas, podem gerar economia de custos.
  • No supply chain, a nuvem impulsiona a colaboração do ecossistema, fornece visibilidade e permite a aplicação de análises para atendimento e logística.


Na última década, o setor de Óleo & Gás enfrentou diversos obstáculos que abalaram sua confiança e estabilidade dentro de um mercado altamente competitivo. O que já estava desafiador, foi agravado pela pandemia da COVID-19, que fez cair, quase que drasticamente, a demanda por combustível. Apesar dos sinais de recuperação dos preços dos barris de petróleo em 2021, os fatores de incerteza permaneceram, acentuando a queda de investimentos e mantendo as margens ainda distantes.

Mas há uma luz no fim do túnel: dê boas-vindas ao um recomeço chamado nuvem. Existe apenas um caminho a seguir e é aquele pautado e liderado pelas tecnologias mais modernas e inteligentes. Porém, a dura verdade é que poucos players do mercado estão preparados para enfrentar as mudanças holísticas e sistêmicas que agora se mostram necessárias. Por isso, a Accenture consolidou, em uma pesquisa abrangente de mercado e indústria, os três principais imperativos para esse renascimento tecnológico:

  • Aumentar a agilidade e resiliência
    A indústria deve construir operações mais flexíveis, resistentes o suficiente para lidar com a volatilidade do mercado. Para isso, é preciso instituir uma estrutura com custos menores e mais variáveis e, principalmente, alavancar e digitalizar o supply chain.
  • Impulsionar a competitividade
    Chegou o momento de maximizar os retornos, por meio de decisões mais assertivas em toda a cadeia de valor, o que irá, por consequência, remover a latência, o desperdício e os custos de operações.
  • Criar sustentabilidade
    O mercado continua a estimular a adoção de fontes de combustíveis não fósseis. Ou seja, as empreses com um forte posicionamento de sustentabilidade serão bem recompensadas. Dessa forma, o setor deve priorizar a redução da pegada de carbono em seu portfólio.

Por que a nuvem?

Apesar da migração para nuvem prometer o elixir do renascimento de um setor, o caminho para adoção dessa tecnologia não é simples. As limitações estruturais das empresas de Óleo & Gás criaram barreiras de conectividade, escalabilidade, e dificultaram o uso eficaz de dados - três coisas essenciais para alcançar os objetivos de reinvenção da indústria.

Os dados do setor de Óleo & Gás são, normalmente, armazenados em diferentes sistemas e bancos locais desconectados. A reinvenção exige reunir todos esses dados para permitir uma visão abrangente da empresa. Com isso, é possível gerar insights e tomar decisões baseadas em números, possibilitada pela aplicação de análises e ferramentas de analytics, como machine learning.

A compreensão da conectividade, possibilitada pela nuvem, permite que as empresas tenham uma visão integrada do negócio. Em um setor, inevitavelmente volátil e cíclico, esse panorama geral ajuda a desenvolver resiliência, assim como a flexibilidade necessária para aumentar ou diminuir a escala.

Uma gigante petrolífera implementou um sistema de dados centralizado, habilitado à nuvem, para conduzir a categorização automatizada de custos e resolver lacunas de dados. O resultado da solução levou a mais de US$1Bn em redução de OPEX nos negócios.

Chegou o momento de agir

A Accenture, baseada em sua pesquisa de mercado, estruturou as quatro principais maneiras das empresas realizarem a migração para a nuvem:

  1. Infraestrutura na nuvem
    É possível mover o seu data center atual para uma infraestrutura moderna de nuvem e hospedada por um provedor terceirizado. Isso sem mudar os aplicativos e a lógica de negócios; eles simplesmente passam a funciona com mais eficiência.
  2. Sistemas corporativos na nuvem
    Uma empresa pode mover os aplicativos de processos corporativos para versões que são oferecidas, nativamente, na nuvem. Junto à migração, os processos são transformados e automatizados, o que gera novos insights e contribui para tomadas de decisão mais assertivas.
  3. Sistemas core na nuvem
    O gerenciamento de desempenho de ativos pode ser transferidos para aplicativos e plataformas disponíveis na nuvem. A migração envolve a transformação de processo e pode promover novas formas de trabalho, o que potencializa o valor de analytics e automação.
  4. Novas soluções customizadas na nuvem
    Além dos três estados da nuvem mencionados acima, também é possível permitir a criação de novas soluções de negócio do zero e a utilização de recursos de TI exclusivos da nuvem, como IA ou machine learning.
CENTRAL DE ASSINATURAS
Continue informado com nossa newsletter Continue informado com nossa newsletter