Skip to main content Skip to Footer

ÚLTIMOS ESTUDOS


A Internet das Coisas na Indústria: inovação para crescer, progredir e prosperar

Pesquisa da Accenture revela que a Internet das Coisas na Indústria (IIoT, em inglês) pode somar US$ 10,6 trilhões à economia global.

Visão Geral

Accenture revela que a Internet das Coisas na Indústria (IIoT) pode somar um crescimento potencial de US$ 14,2 trilhões à economia global.

Visão Geral

A IIoT pode trazer grandes benefícios econômicos aos países preparados para capitalizar sobre o seu crescimento. A Accenture e a Frontier Economics criaram juntas um modelo do possível impacto da IIoT no PIB dos 20 maiores países desenvolvidos e em desenvolvimento do mundo. O modelo considera projeções de níveis de investimentos, a estrutura industrial e a capacidade de cada um de absorver as tecnologias da IIoT.

Com base nas atuais tendências políticas e de investimentos, descobrimos que a IIoT poderia somar cerca de US$ 10,6 trilhões ao PIB acumulado desses países nos próximos 15 anos. Isso significa que, em 2030, o Produto Interno Bruto dessas nações seria 1% maior do que o previsto, caso a IIoT não existisse.

Concluímos também que o crescimento poderia ser ainda maior. Com mais medidas para melhorar a capacidade de absorção das tecnologias da IIoT e aumentar os investimentos nessa nova tendência, os países poderiam obter até US$ 3,6 trilhões em valor extra, o que superaria as tendências atuais e totalizaria US$ 14,2 trilhões. Para as nações analisadas, isso representaria uma alta real do PIB de 1,5% em 2030, sobre as projeções das tendências.

A IIoT é a aplicação em escala industrial de uma rede de objetos físicos com tecnologias de comunicação, detecção ou interação.

Key Findings

Segundo a história, a qualidade da distribuição econômica depende da capacidade de um país de integrar as inovações em sua realidade socioeconômica. Por isso, desenvolvemos um índice dos fatores que sustentam esse processo, que chamamos de “capacidade de absorção nacional” (national absorptive capacity, NAC). Um país com 100 pontos no NAC teria o melhor desempenho em cada um dos 55 indicadores, em comparação às demais nações avaliadas. No entanto, os resultados mostram que ninguém alcançou este nível, ou seja, todos têm um dever de casa a fazer.

Embora os Estados Unidos, a Suíça e três países nórdicos apresentem os maiores índices NAC, há áreas em que eles precisam melhorar. Os resultados sugerem que, se cada uma das 20 nações investisse o mesmo valor na IIoT, os países com mais pontos no índice NAC teriam mais benefícios econômicos do investimento, enquanto todos os outros se beneficiariam de forma semelhante.

Recommendations

Com base em fases anteriores à revolução tecnológica e entrevistas com especialistas em tecnologia, economia e negócios, identificamos quatro pilares que sustentam a capacidade de absorção nacional:

  • Ambiente comercial: bancos e finanças confiáveis, educação, boa governança e uma rede integrada de fornecedores.

  • Fatores de desenvolvimento: níveis de pesquisa e desenvolvimento, presença de empresas de alta tecnologia e grau da capacitação tecnológica.

  • Fatores de transferência: o nível social e de aceitação do usuário final, a propensão à adoção de mudanças organizacionais e a capacidade de reagir a impactos sobre o capital humano.

  • Dínamo de inovação: quando a onipresença das tecnologias da IIoT atua como um efeito multiplicador nos níveis de empreendedorismo e na capacidade de comercializar novas ideias.

Nossa análise mostra que a combinação de uma compreensão da capacidade de absorção nacional com os investimentos em IIoT podem colocar os países no rumo do progresso econômico e da prosperidade.

Authors

Mark Purdy é diretor executivo e economista-chefe no Accenture Institute for High Performance, em Londres. mark.purdy@accenture.com

Ladan Davarzani é pesquisador do Accenture Institute for High Performance, em Londres. ladan.davarzani@accenture.com