Skip to main content Skip to Footer

ÚLTIMOS PENSAMENTOS


Estratégia Digital: uma nova era para os serviços bancários

Os bancos devem adotar uma estratégia digital baseada em duas velocidades, três funções de governança e um único mindset.

VISÃO GERAL

O meio digital pode estimular um retorno sobre o patrimônio líquido superior a 5% em bancos de mercados maduros e emergentes.

Os revolucionários digitais movimentam o setor bancário ao redefinir as expectativas dos clientes e as fronteiras do mercado. Os executivos que pretendem dominar a economia digital precisam fazer mudanças fundamentais nas operações de suas instituições, no que diz respeito a concorrentes, clientes, processos e pessoas. Como declarou um dos maiores bancos do mundo: “precisamos mudar nosso modelo operacional para sermos digitais”.

Os grandes bancos sabem que precisam se reinventar já para reagir à revolução digital. Embora cada banco tenha sua própria jornada digital, agir na velocidade certa e seguir os melhores modelos de governança e mindset pode ser um atalho para o sucesso.

PRINCIPAIS CONCLUSÕES

As pressões da concorrência têm sido redefinidas. De um lado, as start-ups criam mudanças fundamentais nas expectativas dos clientes e afetam fluxos de receitas. Do outro, grandes líderes digitais levam serviços bancários para ecossistemas digitais não bancários, já dominados por eles. No lugar da tradicional curva de sino no ciclo de vida de produtos e serviços, uma série rápida e contínua de inovações promove um modelo de negócios de ascensão e queda abruptas, no qual produtos ou serviços revolucionários são absorvidos e descartados rapidamente.

O meio digital pode transformar o setor bancário, ao estimular um retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) superior a 5% em bancos de mercados maduros e emergentes. Em um ambiente de puro dinamismo, o tempo é fator essencial.

32% das receitas dos bancos estão em risco com os novos modelos de negócios digitais.

RECOMENDAÇÕES

Ao adotarem o conceito "Everyday Bank", oferecendo serviços financeiros integrados e soluções não financeiras para atender às necessidades de diversos estilos de vida, os bancos têm uma chance de reposicionar seus serviços com a adesão ao meio digital.

Com a concorrência cada vez mais acirrada, os bancos precisam operar a duas velocidades:

  • Velocidade 1: alternativas revolucionárias de crescimento fora do núcleo dos negócios

  • Velocidade 2: transformação do núcleo dos negócios

Os bancos também devem assumir três papéis fundamentais:

  • Empreendedor bancário

  • Empreendedor tecnológico

  • Empreendedor digital

Por fim, para dar vida às estratégias digitais, os bancos precisam incentivar a cultura corporativa, tanto externa quanto internamente:

  • Ser digital externamente (ao aperfeiçoar o relacionamento com clientes)

  • Ser digital internamente (ao adaptar as práticas bancárias internas)

Ser digital é a essência do futuro do setor bancário.