Skip to main content Skip to Footer

ÚLTIMOS PONTOS DE VISTA


Máquina dos sonhos

Conheça a Força de Trabalho Industrial Conectada

Visão Geral

Estima-se que a Força de Trabalho Industrial Conectada poderá ajudar a trazer até €500 milhões em rentabilidade - para um fabricante de automóveis com receitas anuais de €50 bilhões - até 2020.

A maioria dos fabricantes ainda não tem a confiança necessária para implementar esta força de trabalho com êxito. Mas os líderes já buscam uma estratégia de implementação clara, ao investir em robôs colaborativos e dispositivos de realidade aumentada, que garantam a conectividade segura e eliminar a lacuna entre o que os humanos e as máquinas são capazes de fazer. A Força de Trabalho Industrial Conectada transforma a cadeia de valor da fabricação.

FAÇA O DOWNLOAD DO RELATÓRIO DA PESQUISA [PDF]

FAÇA O DOWNLOAD DO INFOGRÁFICO [PDF]

Antecedentes

A revolução digital transforma a indústria.

Trazer as máquinas e a inteligência artificial para a força de trabalho possibilita um ambiente cada vez mais adaptável e adequado, pronto para a mudança.A Força de Trabalho Industrial Conectada faz com que os homens e as máquinas trabalhem juntos e reinventa os processos de produção e serviços que impulsionam os resultados da cadeia de produção.

Ao permitir que as pessoas colaborem com as máquinas em tempo real, esta Força de Trabalho Industrial Conectada aumenta a produtividade de maneira significativa e melhora a eficiência operacional, segurança e gestão de riscos.

Principais Conclusões

A pesquisa da Accenture sobre a Força de Trabalho Industrial Conectada revela:

A maioria dos fabricantes reconhece os benefícios da Força de Trabalho Industrial Conectada.

A maioria dos fabricantes reconhece os benefícios da Força de Trabalho Industrial Conectada.


A maioria das empresas não tem a confiança para implementar o sistema com êxito.

A maioria dos fabricantes reconhece os benefícios da Força de Trabalho Industrial Conectada.


São impedidos por questões técnicas.


São impedidos por questões técnicas.

Lideranças executivas gastam quase o dobro que as empresas de baixa performance na Força de Trabalho Industrial Conectada - e continuarão a "elevar o índice" durante os próximos cinco anos. Eles têm uma estratégia de implementação clara e impulsionam o investimento em tecnologias como robôs colaborativos; também tratam da segurança ao atualizar a infraestrutura de TI e ao pilotar ou implementar programas concebidos para diminuir o déficit de competências.

FAÇA O DOWNLOAD DO INFOGRÁFICO [PDF]

Resultados por País

Ver resultados por País

Análise

A transformação da cadeia de produção traz também mudanças profundas na cadeia de valor. A digitalização reduz barreiras, aumenta a perspectiva de novos concorrentes com mais agilidade digital e possibilita o lucro a partir de uma Força de Trabalho Industrial Conectada.

Deixar de investir neste cenário pode ameaçar a competitividade. Empresas com menos capacidades de inovação correm mais riscos, já que exibem níveis mais baixos de apoio à liderança sênior. Também têm o interesse mínimo na contratação de novos talentos e senso de urgência escasso quando se trata de procurar ajuda externa ou treinamento para novas funções. É essencial que as organizações se movam rapidamente para construir novos modelos de negócios, de forma a cumprir a promessa da Força de Trabalho Industrial Conectada.

Recomendações




Os fabricantes podem acelerar suas jornadas ao:

Visualizar a Força de trabalho Industrial Conectada na íntegra significa aumentar a eficiência operacional e produtividade; conduzir para a melhor visibilidade; reforçar a capacidade de resposta e aprimorar a colaboração.


Aumentar as vitórias ao ampliar o orçamento de P&D para a Força de Trabalho Industrial Conectada.


Definir os benefícios específicos da sua organização. Seja ousado no seu pensamento - as empresas líderes já são assim.


Buscar o pleno apoio da liderança sênior e uma estrutura de governança robusta.


Identificar e tratar adequadamente os sistemas de TI existentes, a segurança de dados e o déficit de competências.


Localizar novos perfis – para a formação e contratação – e adquirir competências relevantes.