Skip to main content Skip to Footer

ÚLTIMAS IDEIAS


Além dos Seguros: inovar para prosperar em tempos difíceis

O tradicional modelo de negócios de Seguros está ameaçado. É hora de ir além dos Seguros.

VISÃO GERAL

O tradicional modelo de negócios de Seguros está em risco, embora a atividade ainda seja uma fonte robusta de receitas. Os principais produtos são vistos como commodities, sem diferenciais entre si. Novas empresas e prestadores de serviços digitais marcam presença em todas as áreas do setor. Neste cenário, as inovações tecnológicas farão com que alguns aspectos dos Seguros fiquem obsoletos.

Se quiserem se manter no mercado, as seguradoras precisarão "ir além dos Seguros" e fazer parte de novas áreas promissoras, nas linhas comerciais e pessoais. Elas podem fazer das grandes inovações uma realidade e, ainda, alcançar o status de conselheira para seus clientes.

Baixar PDF
[PDF, 900KB]

PRINCIPAIS CONCLUSÕES

Com o fortalecimento da concorrência, o avanço tecnológico e o dinamismo do setor, as seguradoras devem buscar duas opções de crescimento:

  1. Refletir sobre o papel dos seguros na sociedade, para converter inovações comerciais e tecnológicas, especialmente as mais revolucionárias, em realidades, ou seja, transformar possibilidades tecnológicas em soluções humanizadas.

    As seguradoras podem ajudar a proteger a sociedade ao acompanhar o avanço dessas tecnologias. Os seguros sempre foram um indicador de regulamentação e uma forma de fazer valer essas normas. Isso não mudou.

  2. Ser uma conselheira de confiança, ao ajudar seus clientes a suprir necessidades que surgirão com os avanços tecnológicos e sociais. As seguradoras passam a ser um ponto central, um concierge, que integra ofertas de fornecedores afins para atender a cada vez mais necessidades e intenções de pessoas físicas e jurídicas.

RECOMENDAÇÕES

As seguradoras devem tomar medidas concretas para dar novos saltos de crescimento.

  • Criar uma "equipe tática". Para lidar com uma cultura de aversão ao risco e outras restrições internas, elas devem montar "equipes táticas" ou grupos autônomos incumbidos de detectar necessidades dos clientes, para criar serviços.

  • Adotar uma cultura humanizada. As seguradoras precisam estar ao lado dos clientes, atendendo suas necessidades por meio de redes de serviços.

  • Estabelecer parcerias com empresas de tecnologia ou outros players de inovação para criar serviços. As seguradoras devem rever seu papel no mercado a partir de parcerias com empresas de tecnologia..