Skip to main content Skip to Footer

LATEST THINKING


Como o setor público pode aprender com as armadilhas das “Melhores Práticas”

QUANDO AS MELHORES PRÁTICAS NÃO SÃO AS MELHORES

Projetos do setor público em mercados emergentes buscam guiar-se por “melhores práticas”, mas com frequência não conseguem atingir os resultados esperados.

Replicar práticas de excelência faz sentido, mas fazê-lo sem um planejamento detalhado ou adaptação às condições locais costuma acabar mal.

Apresentamos soluções pragmáticas para aprender com os exemplos de sucesso sem perder a relevância para a realidade local.

TRÊS PONTOS QUE PODEM GUIAR PARA O DESENVOLVIMENTO PLENO DOS PROJETOS

Melhores Praticas
Evite
Melhores Praticas
Evite
Melhores Praticas
Evite

Às vezes, seguir as melhores práticas pode produzir os piores resultados. É comum vermos tentativas fracassadas de replicar projetos no setor público, especialmente em mercados emergentes, onde o potencial de “escalar” e “replicar” outros projetos parece simples e atraente aos olhos de planejadores com recursos escassos.

Nossa pesquisa primária em projetos de esfera municipal no Brasil, Índia e África do Sul revela as armadilhas inerentes à replicação de melhores práticas e apresenta orientação sobre como aprender de forma efetiva com experiências bem e mal sucedidas de outros.

Nossa análise das armadilhas das melhores práticas nos leva a propor uma abordagem pragmática para aprender com experiências de projetos anteriores realizados em outros municípios. Os passos abaixo resumem as principais lições:

Nossa pesquisa primária em projetos municipais no Brasil, Índia e África do Sul revela as armadilhas inerentes à replicação de melhores práticas e oferece orientação sobre como aprender efetivamente com as experiências bem e mal sucedidas de outros. Essas lições são ilustradas por 12 estudos de casos detalhados de projetos bem sucedidos que exemplificam nossas abordagens recomendadas.

CONTATOS

Armen Ovanessoff
Armen Ovanessoff

Diretor Principal da Accenture Research

LinkedIn

SOBRE NOSSA PESQUISA

A Accenture colaborou com o Insper – um Instituto de educação sem fins lucrativos líder na América Latina em negócios, economia e engenharia – para realizar estudos de caso em profundidade de projetos do setor público municipal de alto e baixo desempenho no Brasil, Índia e África do Sul.

Nossa pesquisa abrange iniciativas dos setores da educação, transporte, burocracia pública e planejamento urbano, e inclui mais de 70 entrevistas detalhadas, avaliações de impacto e análises qualitativa e quantitativa das dinâmicas que levaram ao sucesso ou ao fracasso dos projetos selecionados, escolhidos com base em evidências contrafactuais de valor social positivo.

A pesquisa também incluiu a análise comparativa e qualitativa fuzzy (fsQCA), que emprega álgebra booleana para encontrar combinações de condições consistentes com sucesso ou fracasso, permitindo uma análise de diferentes níveis de presença de condições específicas no projeto, em vez de considerar apenas as opções binárias de presença ou ausência.

Detalhes de nossa análise fsQCA e seus e resultados serão publicados em um artigo acadêmico focado no papel dos diferentes modelos de colaboração entre os setores público e privado e a sociedade civil.

Agradecemos a nossos pesquisadores parceiros no Insper – o supervisor Sérgio Lazzarini e o time de campo Nobuiuki Ito e Leandro Pongellupe; bem como ao time de pesquisa da Accenture – Felippe Oliveira, Klayton Rocha, Marlene Joubert, Smriti Mathur e Udit Sabharwal por sua valiosa contribuição com esta pesquisa.