Skip to main content Skip to Footer

ÚLTIMOS ESTUDOS


O IMPACTO DA CIBERSEGURANÇA
NA ÁREA DE SAÚDE PARA
OS CONSUMIDORES

MEDO DO FRACASSO

Os consumidores brasileiros confiam nas organizações de saúde para proteger seus dados digitais—ainda assim, quatro em cada cinco se preocupam com violações de dados. Para entender melhor as atitudes do consumidor em relação a dados de saúde, confiança digital, funções e responsabilidades, compartilhamento de dados e violações, a Accenture realizou uma pesquisa em sete países. Este relatório foca nos resultados dos consumidores brasileiros em relação à cibersegurança no setor de saúde e confiança digital.

PROTEÇÃO DE DADOS DIGITAIS DE SAÚDE

De acordo com a pesquisa da Accenture, os consumidores brasileiros acreditam que os provedores de saúde estão tomando medidas para proteger os dados digitais de saúde dos pacientes; contudo, 83% se preocupam com violações, mais do que em qualquer outro país da pesquisa.


83% dos consumidores brasileiros na área de #saúde se preocupam com violações de dados. Leia a pesquisa.

Leia a pesquisa completa para saber mais sobre as implicações de violações em segurança digital

VEJA OS RESULTADOS [PDF]



LIMITES COM RELAÇÃO À CONFIANÇA NO GOVERNO

Mais confiáveis 79% meu(s) médico(s) ou outros provedores de saúde

A vasta maioria dos consumidores (79%) confia que seus médicos e outros provedores de saúde mantêm seus dados em segurança, duas vezes mais do que aqueles que confiam no governo (37%). Mais de três quartos dos brasileiros confiam nos laboratórios que processam seus exames médicos (77%), em sua farmácia (70%) e no suporte de TI para o consultório do seu médico ou de outros locais médicos (70%).

Apesar de confiar nas entidades de saúde, 19% dos consumidores brasileiros já sofreram violação de seus dados digitais de saúde—desse total, cerca de um terço (31%) foi vítima de roubo de identidade médica.

Veja os resultados da pesquisa para entender como os dados foram explorados.

VEJA OS RESULTADOS [PDF]

LEI BRASILEIRA SOBRE VIOLAÇÕES

A maioria dos consumidores brasileiros (88%) tomou medidas para proteger seus dados após uma violação. Alteraram pessoalmente senhas e outras credenciais (29%); mudaram de provedor de saúde (25%) ou buscaram assessoria jurídica ou da polícia (20% respectivamente).

Enquanto 15% dos consumidores brasileiros que enfrentaram violação informaram esse fato para a organização com posse dos seus dados, outros instalaram software de segurança em seus computadores (14%). Segundo 11% dos consumidores brasileiros, contratar um serviço de proteção de identidade em caso de violação foi a ação menos provável.

Leia os resultados completos para saber mais sobre o impacto das violações na confiança digital.


Os consumidores brasileiros reagem a violações de dados de várias formas


88% dos consumidores brasileiros tomaram providências em resposta a violações de dados


Breach

PASSOS PARA GARANTIR CONFIANÇA DIGITAL

Violações são inevitáveis. As organizações de saúde podem tentar se proteger contra as violações e devem estabelecer confiança digital com os consumidores desde cedo para construir uma base que ajude os consumidores brasileiros a superar uma violação.

Essa é a hora para os provedores de saúde, planos de saúde e outras organizações reforçarem suas capacidades de cibersegurança, melhorarem suas defesas, construírem resiliência e gerenciarem melhor as violações. Mais importante, eles podem dar aos consumidores a confiança de que seus dados estão em boas mãos.

Leia mais sobre as principais ações que os provedores de saúde podem tomar para melhor atender os consumidores brasileiros.


VEJA OS RESULTADOS [PDF]

PARA MAIS INFORMAÇÕES

Lincoln Moura Jr
Lincoln Moura Jr

Mail to Lincoln Moura Jr. Isso irá abrir uma nova janela.
Rene Parente
Rene Parente

Mail to Rene Parente. Isso irá abrir uma nova janela.


CONTEÚDO SUGERIDO