Skip to main content Skip to Footer

INSPIRAÇÃO


Desafios no Brasil

Kathrin Pfeffer, Diretora de Controladoria da Mercedes-Benz no Brasil

O Brasil multicultural que encanta Kathrin Pfeffer inspira sua trajetória desde 1999. Seu ponto de vista sobre o País é um dos destaques desta conversa. Ela vai além e reflete o papel da mulher no ambiente corporativo, a importância da intuição e do planejamento na tomada de decisões e, acima de tudo, o respeito entre as pessoas.

Qual sua definição de crescimento profissional?

Você percebe que é uma boa profissional quando é respeitada pelas pessoas que trabalham com você – tanto por aqueles que estão sob sua responsabilidade quanto por seus superiores. A maturidade profissional também é alcançada quando você consegue conceber, defender e compartilhar ideias e planos. Sendo que o mais importante, no final, é saber executá-los.

Você planejou todos os pontos da sua carreira ou simplesmente não deixou passar as oportunidades que surgiram?

No meu caso, eu não deixei as oportunidades que surgiram passar. Lógico que essa postura contou com o acaso e com um pouco de sorte. De vez em quando, você precisa estar no tempo e no lugar certo. Sempre quis trabalhar fora da Alemanha e deixei isso bem claro para os meus chefes e colegas. E quando surgiu a primeira oportunidade de vir para o Brasil em 1999, nem eu e nem eles, pensamos duas vezes. Convite feito, convite aceito.

Eu não conhecia absolutamente nada sobre o Brasil, mas pensei, vamos lá e vamos ver. Se eu não arriscar, se eu não experimentar, nunca vou saber como é esse País. Por isso, vim para o Brasil para colocar em prática um desejo de mudança e deu certo!

"Você percebe que é uma boa profissional quando é respeitada pelas pessoas que trabalham com você – tanto por aqueles que estão sob sua responsabilidade quanto por seus superiores."

Você está no Brasil há alguns anos, depois de ter atuado em diversos países. Quais os aspectos mais fascinantes de uma carreira que lhe permitiu traçar e descobrir tantos caminhos?

O lado mais interessante é trabalhar com pessoas e culturas diferentes. Eu aprendo muito, mas também tenho a oportunidade de ensinar. É este conjunto, de aprender e ensinar em ambientes tão diferentes, que me motiva e dá mais satisfação. Eu amadureci muito enfrentando situações tão diversas, tanto na vida pessoal quanto na profissional.

Qual sua primeira impressão e os principais aprendizados sobre o Brasil e nossa cultura?

A primeira impressão foi relacionada ao comportamento dos brasileiros. As pessoas são muito sociáveis e acolhedoras, sempre abertas e gentis. Me senti em casa desde o primeiro dia no Brasil. É um País com vários “rostos” – não existe apenas “um Brasil” ou “o brasileiro” – é uma sociedade multicultural. Também aprendi que no Brasil “no fim tudo vai dar certo!”. Quero dizer que, apesar das dificuldades, os brasileiros são sempre muito motivados e demonstram interesse em aprender e avançar.

O ambiente no País nem sempre ajuda, mas os brasileiros têm uma determinação grande para fazer as coisas darem certo e acontecerem.

"As pessoas são muito sociáveis e acolhedoras, sempre abertas e gentis. Me senti em casa desde o primeiro dia no Brasil."